Menu

Prefeitura e Câmara têm cooperação técnica para agilizar processos licitatórios

COOPERAÇÃO ENTRE PODERES – Prefeitura de Capão Bonito e Câmara de Vereadores intensificaram a cooperação técnica de suas equipes para agilizar processos licitatórios no âmbito do Legislativo.

Na manhã de sexta-feira, 11/11, aconteceu o primeiro pregão presencial na Câmara para definir a compra de quatro itens, entre eles novos aparelhos de ar condicionado para a Câmara que está na fase final do seu projeto de reforma e reestruturação

Três empresas participaram do pregão que contou com a fase habilitação e apresentação dos envelopes.

Segundo o pregoeiro oficial da prefeitura, Edivaldo Hilário de Queiroz (Peru), que também acompanhou o pregão na condição de consultor, a equipe técnica e administrativa do Legislativo passará a realizar na própria Câmara suas licitações que tem um volume bem menor comparando com a prefeitura

“Essa cooperação técnica é muito positiva, pois o Legislativo poderá comprar seus insumos e materiais utilizando o seu sistema que já está preparado para executar este tipo de processo. O principal objetivo é acelerar a compra”, afirmou Edivaldo de Queiroz.

De acordo ainda com o diretor administrativo da Câmara, Darci Queiroz de Freitas, após verificação dos valores e homologação do resultado, a compra será publicada no Imprensa Oficial, garantindo toda transparência no processo.

Eficiência em pregões – O pregão presencial é uma modalidade de licitação (compra pública), na qual a prefeitura adquire bens e serviços comuns de um fornecedor ou fornecedores que oferecerem o menor preço.

De acordo com o Setor de Licitações da prefeitura de Capão Bonito, o pregão visa, entre outras coisas, agilizar todo este processo de aquisição, além de colaborar para a transparência e maior concorrência nos processos licitatórios, diminuindo, assim, seus custos.

Em Capão Bonito essa modalidade de licitação vem auxiliando muito a administração pública nas compras de materiais e serviços, gerando uma expressiva economia.

Estimativas indicam que nos últimos anos a prefeitura comprou mais de R$ 40 milhões e obteve uma expressiva economia nessas compras.

“O destaque além da economia expressiva é a qualidade da compra. Cada item adquirido é verificado e testado para evitar problemas. É preciso comprar com economia, mas também com qualidade. O pregão é um leilão reverso. Essa modalidade é empregada na aquisição de bens e serviços comuns que podem ser definidos de forma clara por especificações usuais de mercado. É evidente que os produtos de alta complexidade fogem à agilidade e facilidade do pregão. Portanto, nessas situações são utilizados os modelos tradicionais de licitação, vinculados a um edital mais extenso e detalhado. O procedimento simplificado reduz significativamente os custos, além de conferir maior transparência e rapidez aos processos”, afirmou Edivaldo Queiroz.